A Acupuntura na Gestação e no Parto

A gestação é um momento de recolhimento, espera e de adaptação a constante mudanças, uma vez que o corpo está se preparando para receber uma nova vida. Todo este tempo de preparo demanda uma grande concentração de energia e a Acupuntura ajuda a fortalecer a energia vital da mulher, para que ela possa passar pelo período da gestação da forma mais confortável possível.
Segundo a Medicina Tradicional Chinesa (MTC) o principal elemento envolvido neste período é a água, elemento que simboliza a força ancestral e a capacidade de adaptação. Portanto, a acupuntura durante a gestação é utilizada para um tratamento preventivo de diversas patologias por meio do acionamento dos pontos da água, que influenciam diretamente no útero, ovários, embrião e na energia-fonte da mãe.

Quando tratamos gestantes levamos em consideração três objetivos primordiais:

1- Trabalhar energeticamente para que mulher possa adaptar-se física e psiquicamente a gravidez, sem comprometer a sua energia. Este equilíbrio energético beneficia diretamente o bebê que receberá a energia necessária para o seu desenvolvimento.

2- Outro objetivo é preparar o útero da mulher na fase inicial para que o embrião seja aderido à parede do útero. Para isso, usamos pontos de acupuntura voltados para o aumento da vascularização, propiciando uma melhor nutrição para o bebê. Além disso, preparamos a mulher para o trabalho de parto, posicionamento do bebê e indução de contrações uterinas.

3- O último objetivo a ser trabalhado é a amenização dos sintomas naturais da própria gestação: tratando os incômodos como enjoo, náuseas, dores de cabeça, dores nas costas, aumento excessivo de peso, diabetes gestacional, pressão alta e outros sintomas característicos de cada fase de desenvolvimento do bebê.
A acupuntura muitas vezes não é indicada pelo médico por receio de que a mulher entre em trabalho de parto prematuro, porém se a técnica é utilizada por um profissional qualificado e especializado em gestantes, os benefícios são altíssimos e os riscos quase nulos.

O Parto

Então se inicia o momento em que a mulher e o bebê tem um trabalho árduo pela frente, que vai demandar de ambos uma grande concentração de energias. O trabalho de parto em si se inicia quando o bebê se sente preparado para a sua passagem da vida uterina para a vida externa. Portanto, saber esperar o momento do parto é um exercício de paciência que ajudará a futura mãe a desenvolver o seu papel de forma tranquila e estreitar ainda mais o vínculo com o seu bebê.

O ideal é que a gestante inicie a preparação do assoalho pélvico com pelo menos 36 semanas, para isso na acupuntura usamos os pontos voltados para a preparação do bebê e do útero neste primeiro momento. Já a técnica de indução só é recomendada a partir de 38 semanas já que, só a partir desta fase, o bebê se encontra pronto para o nascimento. Vale lembrar que a indução só funciona positivamente quando o bebê está preparado para nascer. Assim, se ele precisa de mais tempo para concluir o processo de formação, a técnica não funcionará imediatamente mas, ainda assim, será facilitadora durante o trabalho de parto.

A técnica pode ser bastante benéfica também durante o trabalho de parto, aplicada quando a mulher se encontra nas seguintes situações:

– Pródromos por um período prolongado;
– Contrações não ritmadas;
– Redução na evolução do trabalho de parto;
– Cansaço extremo;
– Dores fortes;
– Má posicionamento fetal;
– Problemas de dilatação ou afinamento do colo.

Thais Escudeiro é Acupunturista, Doula e Psicóloga

Crédito imagem que ilustra o post: Bia Takata, Coletivo Buriti